Aumentar as Food Skills (competências alimentares) das crianças e jovens é investir na saúde e bem-estar. O aumento das competências alimentares ao nível da segurança alimentar, consciência de consumo, rotulagem e preparação e confeção de alimentos saudáveis devem fazer parte do conhecimento comum dos jovens portugueses.

Conforme proposto pela Organização Mundial de Saúde, estas competências devem incorporadas no curriculum escolar em todas as faixas etárias. A sua falta, nomeadamente ao nível da preparação e confeção de alimentos, pode ser um fator limitante nas escolhas alimentares, com consequente impacto na saúde.

 

O que pretendemos com este desafio

  • Aumentar as Food Skills (competências alimentares) das crianças e jovens.
  • Informar e capacitar as famílias para a compra, confeção e armazenamento de alimentos saudáveis.
  • Envolver o cidadão na definição de estratégias para aumentar Food Skills (competências alimentares) das crianças e jovens e fornecer ferramentas para alcançar esse objetivo.
  • Mobilizar os profissionais de saúde, as instituições públicas e privadas, o setor da restauração e a indústria para a promoção de Food Skills (competências alimentares) nas crianças e jovens.

 

Como vamos alcançar?

Cidadão

  • Envolva os seus filhos desde os 2 anos de idade nas tarefas de compra, escolha, preparação, confeção e distribuição de alimentos, adequadas à idade.

Profissionais de saude e educação

  • Incentivar os pais a incluírem os filhos desde os 2 anos de idade nas tarefas de compra, escolha, preparação, confeção e distribuição de alimentos, adequadas à idade.
  • Aumentar as Food Skills (competências alimentares) dos profissionais de educação (educadores, professores), profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, dietistas-nutricionistas) de forma a melhor aconselharem as famílias e as crianças.

Instituições públicas e privadas

  • Introdução da disciplina de Educação Alimentar com componente prática ao nível da culinária no 1º ciclo do ensino básico, no âmbito das atividades de enriquecimento curricular (AEC).
  • Introdução da disciplina de economia doméstica, com forte componente prática a partir no 3º ciclo do ensino básico.
  • Aumentar as Food Skills (competências alimentares) das famílias e de grupos de risco (hipertensos, diabéticos, obesos, entre outros).
  • Desenvolver campanhas massificadas junto da comunicação social de promoção das Food Skills (competências alimentares) de crianças e jovens.

Restauração

  • Potenciar o aumento das Food Skills (competências alimentares) dos profissionais de hotelaria.

Indústria e Retalho

  • Maximizar a oferta de produtos com baixo teor de açúcar, sal e gordura, que facilitem a confeção de alimentos em casa.

secretario estado adjunto ministro saude

estesl

cnj

onmi

refood

adsfan

 barrigas amor

 travel flavours

apc

apnep

fadu

 cm vilapoucadeaguiar

cm alter do chao ipb caldasdarainha camaramunicipal logo changeit
fundacao portuguesa cardiologia empresas mais saudaveis    

gertal

nutricia

itau

iglo

palmeiro foods

inspira santa marta

 nestle health science  iogurte dia

jumbo

medtronic    

o peixe e fixe

eat like you mean it

portugal em forma

 nutrition hidration week